La que Sabé

butterfly wNos encontros Alcathea as mulheres compartilham sua dificuldade de entender as palavras de Clarissa Pinkola Estés no livro Mulheres que correm com os Lobos e o grupo tem sanado através da vivência e trocas esse caminhar de despertar da Mulher Loba.

Clarissa joga com suas palavras em pílulas de poesia, transita entre os contos e os sonhos, entre as imagens e simbolismos, não em respostas prontas, remédios imediatistas. A Autora quer nos proporcionar a escuta de nosso coração, que observemos nossa intuição, resistência, tenacidade, percepção, visão, audição … sentidos e sentimentos de nossas vivências, sejam essas vivências pessoais ou daqueles que nos cercam. Ela quer que dancemos em nossa energia, em nossa própria história em busca de nossa própria Verdade.

Nada é imediato, estamos mal-acostumadas com o fast food intelectual e aqueles que bendizem promover curas imediatas de nossas feridas sagradas.

Talvez nossa insatisfação com aquilo que é somente essencial e o ensinamento de sempre ter mais e mais, num status inatingível, tenha nos afastado da simplicidade de escutar nosso interior. Talvez saciar a nossa criança tenha se tornado mais importante do que buscar a compreensão de nossos desejos, segredos e da bagagem que nos foi imputada para sermos condizentes com o mundo que nos cerca.

Clarissa não quer que você leia e internalize o conto ao pé da letra.

Os contos são lanternas que iluminam caminhos de compreensão, te levam a lugares por meio da inspiração e da criatividade. E quando chegar ao local onde está a lanterna aí sim lance mão de sua consciência, de seu racional, como eu digo sempre “o momento de olhar para meu umbigo”.

Como eu me sinto aqui? Quando eu já senti isso? Onde minhas experiências pessoais se encontram na sensação que sinto no viajar nesse conto? Onde me aprisiono? Onde me liberto?

Perceba que eu falo aqui do racional que integra, aquele que olha para si mesmo e interliga sua sensação, sentimento e pensamento. Aquele que vai tramitar entre os véus do tempo e espaço posicionando a sua Verdade, o seu momento Presente.

Clarissa convida você a olhar o próprio umbigo, e fazer parte de um clã energético feminino, a sanar você e as gerações em busca de uma pulsação mais saudável em busca da libertação da mulher selvagem.

Mulher Selvagem? Sim, aquela que está dentro de você, é inata, é a essência da sensação de sua alegria, prazer e inspiração de vida; que em alguns momentos se perdeu, se esqueceu, se entregou demais aos ensinamentos dos outros,  porque acreditou ser o mais propício para seguir a vida.

Compaixao-FB-843x403pxTodas nós pertencemos a um antigo clã de cicatrizes e vamos adquirir mais ao longo e nossa jornada se queremos viver. E porque não aprender com as mais sábias, as que vieram antes de nós? Porque não nos colocar a disposição de novas visões e percepções?

O Grupo de estudos Alcathea proporciona esse transitar e integrar as compreensões e experiências de vida de diversas mulheres que viajam entre os contos Mulheres que Correm com os Lobos. Diversos olhares, palavras, sensações e sentimentos que são compartilhados na busca de desvelar nossos véus em caminho da compreensão de nós mesmas.

pinalcatheaToda e qualquer mudança ou busca acontece a partir de nós mesmas, da La que Sabé, se quisermos entender, compreender, ir além, viver em mundo melhor, temos que nos entregar as nossas sensações, ao nosso ser instintivo.

Aull

Tamaris Fontanella

site1