O grito

A voz calada

Contida

Engolida

Sufocada

Há muito guardada mas não esquecida.

Calada por mim

Por medo de mim

Dá minha força

Dá minha coragem

Do meu poder domesticado.

O meu grito

Não é só meu

É de todas as mulheres

De minhas ancestrais

Que foram mutiladas

Violentadas

Feridas

Machucadas

Caladas.

Eu honro e reconheço cada uma delas

Meu grito

É Por mim

Por elas

Por nós!

Por Sirlene Aquino

#despertarfeminino #clãdalua #saberesdethea #perolasdodeserto #saberesfemininos #poesia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *