A importância de acolher a sua história – Devaneios da Deusa

Compartilhe com muito Amor ...Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Share on Tumblr
Tumblr
Email this to someone
email
Share on Yummly
Yummly

La Loba conhece o passado pessoal e o passado remoto pois ela vem sobrevivendo pelas gerações afora e é mais velha do que o tempo. Ela é a memória arquivada das intenções femininas.*

Quando você acessa a sua história pessoal você permite que todas as informações arquivadas de suas conquistas e seus poderes sejam revelados.

/../ a mulher está perdendo sua energia para criar, quer sejam soluções para amenizar questões da sua vida como a educação, a família, as amizades, quer se trate dos seus objetivos, seu desenvolvimento pessoal, sua arte.*

Pelo amor de Deus! São tantas às mulheres que têm, elas mesmas, medo do poder das mulheres. É que as antigas qualidades e forças femininas são imensas e causam espanto.*

Ao acessar o caminho já percorrido você encontra mecanismos e aprendizados que já teve para superar dificuldades do momento, como também a oportunidade de aprimorar tudo aquilo que já sabe.

Em um dos trabalhos de Vasalisa, no trajeto em que ela está se apropriando de sua força e se tornando mulher, ela precisa encarar a Megera Selvagem.

As tarefas desse encontro são as seguintes: ser capaz de suportar o rosto apavorante da Deusa Selvagem sem hesitar (topar com a Baba Yaga). Familiarizar-se com o mistério, a estranheza, a “alteridade” do selvagem (residir na casa de Baba Yaga por algum tempo). Adotar nas nossas vidas alguns dos seus valores, tornando-nos, portanto, também um pouco estranhas (comer seus alimentos). Aprender a encarar um poder enorme nos outros e subseqüentemente nosso próprio poder. Permitir que a criança frágil e boazinha em excesso vá definhando ainda mais.*

Ao mergulhar na sua própria história, você acessa a energia da sua Mulher Selvagem e se depara com diversos momentos em que dores e feridas sagradas ficaram marcadas e quais você a vem carregando até a fase da vida onde está. Essas feridas são parte de nossa Megera Selvagem e é importante que no momento de reconhecimento dessa bagagem você as acolha, acolha essa criança ferida que precisa de esclarecimento e resignificação.

Permite também que padrões estipulados a você sejam analisados e se toma no direito de acolher ou de se libertar daquilo que não serve mais.

Quando a cultura define detalhadamente no que consiste o sucesso ou a perfeição desejável sob qualquer aspecto — na aparência, na altura, na força, na forma física, no poder aquisitivo, na economia, na masculinidade, na feminilidade, na atitude de bom filho, no bom comportamento, na crença religiosa — existem ditames correspondentes e tendência à avaliação na psique de todos os seus membros. Portanto, as questões da mulher selvagem rejeitada geralmente são duplas: a íntima e pessoal, e a externa e cultural.*

Ao acessar todos seus feitos está recorrendo a sua parte sábia, você separa, analisa, e os vê em um conjunto de valores e virtudes, e passa a se ver com os olhos do bom caminhar reconhecendo que as feridas são parte da potência que você é hoje.

Forje seu verdadeiro trabalho. Construa aquele abrigo de carinho e conhecimento. Transfira sua energia de um lado para o outro. Insista em atingir um equilíbrio entre a responsabilidade prosaica e o êxtase pessoal. Proteja a alma. Insista numa vida criativa de qualidade. Não permita que seus próprios complexos, sua cultura, os dejetos intelectuais ou que qualquer papo-furado político, pedagógico, aristocrático ou pretensioso lhe roubem essa vida.*

Ándele Mulher Selvagem! Deixe a marque de suas quatro patas!

Tamaris Fontanella

#despertarfeminino #alcathea #mulheresquecorremcomoslobos #irmandadefeminina #circulosdemulheres #saberesethea #saberesfemininos #theaterapia #devaneiosdadeusa #artigos

*citações do livro Mulheres que correm com os Lobos de Clarissa Pinkola Éstes

Compartilhe com muito Amor ...Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Share on Tumblr
Tumblr
Email this to someone
email
Share on Yummly
Yummly

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *