Benzer, curar, cuidar: sobre o ofício da benzedeira

Uma lembrança bonita de infância que tenho é de minha avó benzendo os olhos dos netos, sempre que algum mal nos atacava. A cantiga e o gesto eram sempre os mesmos, fosse cisco, fosse terçol, fosse inflamação: os dedos girando em espiral sobre os olhos enquanto cantava “Santa Luzia passou …